sexta-feira, 29 de julho de 2011

III Jogos Gaúchos - 2011 - Porto Alegre-RS

Clique na imagem para ampliar

Neste final de semana acontecerá o III Jogos Gaúchos promovido pela ABADÁ-Capoeira, com o cronograma conforme o cartaz acima.

Deixo aqui o meu boa sorte a todos e que seja um mais um grande evento que engrandeça e fortaleça a ABADÁ-Capoeira no estado.

Boa Sorte à Todos!!!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Livro Macaco Beleza e o massacre do Tabuão

Dica de livro para uma leitura descontraída, se é que alguém ainda lê livros hoje em dia...

"Frederico José de Abreu, um dos mais conceituados e importante pesquisador/historiador da cultura Afro Brasileira em especial da nossa capoeiragem, autor de "O Barracão do mestre Waldemar" e "Capoeiras: Bahia, século XIX", duas das obras mais conhecidas da literatura sobre a capoeira, acaba de lançar um novo livro intitulado: Macaco Beleza e o massacre do Tabuão. Com certeza uma ótima dica de leitura e presença obrigatória nas prateleiras das bibliotecas e acervos de todo capoeirista."

Para ler o release enviado pelo autor consulte a fonte abaixo.

Fonte: Portal Capoeira

segunda-feira, 25 de julho de 2011

A verdade da CAPOEIRA



Um pequeno, porém bom texto para ser refletido...

"Capoeira é livre, pelo menos é símbolo da liberdade, e ser livre e ter a liberdade é viver em democracia e a democracia é o debate das idéias, e elas, as idéias, seja de quem for, acaba por incomodar sempre alguém, com idéias diferentes é claro."

Leiam o texto completo no link abaixo.

Fonte: Portal Capoeira

sexta-feira, 22 de julho de 2011

JOGOS MUNDIAIS 2011 – Carta Convite


Aqui esta a carta convite para todos que vão participar dos JOGOS MUNDIAIS 2011 baixarem. clique na imagem para ampliar e salve para imprimir.

Mais informações em breve sobre a programação no CEMB (estadia e cursos) e da competição (local e horários).

Rio de Janeiro – Rio de Janeiro – Brasil

Fonte: Abadá-Capoeira Blog Oficial

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Livro "A capoeira dos Leões do Norte - a herança de Pernambuco"



A capoeira vem sendo discutida e trabalhada de uma forma mais consciente. Mestres, professores, monitores, alunos e profissionais, ligados à cultura popular, vêm trazendo esta arte com uma nova leitura: usá-la como recurso pedagógico no trabalho componentes curriculares adotados em sala de aula e dinamizá-la enquanto movimento social na cultura popular.

Desta forma, este estudo traz, em seu bojo, a discussão em torno da capoeira enquanto instrumento de aprendizagem e construção histórica, entendendo a arte capoeira em seu todo e elementos constituintes – desde a sua história (neste caso, em Recife e Olinda, em virtude do trabalho ser desenvolvido com foco na realidade local) até os impactos na construção de aprendizagens e saberes locais.

O livro "A capoeira dos Leões do Norte - a herança de Pernambuco" traz uma continuidade de estudos do livro "A capoeiragem do Recife Antigo - os valentes de outrora". "A capoeira dos Leões do Norte" configura um livro que pontua as ações da capoeiragem em Pernambuco nos anos de 1960 a 1980, em elementos como: relatos de alguns mestres, feitos de mestres que ergueram diversos cenários da capoeiragem, relatos de mulheres da capoeira, breve mapeamento histórico e considerações acerca da psicodinâmica da capoeira.

Contato: monicabeltrao@yahoo.com.br

Fonte: Portal Capoeira

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Os Cânticos mais utilizados na capoeira




Esse post vai para acrescentar um pouco de conhecimento sobre as cantigas de capoeira e também para trazer à luz algumas coisas aos que se dizem "saber tudo de capoeira" que as também variam de acordo com o toque, e não apenas a velocidade do jogo segundo alguns, e que elas não são cantadas do mesmo jeito...

Ladainha
É cantada em ritmo lento, o coro repetindo o refrão independente do trecho entoado pelo cantador. A ladainha conta uma história, com uma oração longa entrecortadas pelo refrão.

Quadra
Ela identifica a capoeira regional, é cantada no toque mais rápido. A quadra, como o próprio nome diz, é cantada em 4 versos, feitos de forma rimada, com um fecho sobre o tema abordado. Termina sempre com uma chamada ou advertência ao coro como: “Camará”, “Aruandê”, “Volta do mundo”, entre outras.

Chula
Curto improviso de apresentação entoado pelo cantador como introdução aos corridos ou às ladainhas.

Corrido
É cantado de forma breve com resposta imediata do coral.

Depois deste pequeno resumo, vamos detalhar um pouco mais esse assunto.


Variações Musicais

Autor: Adriana Fernandes

A prática da capoeira está intimamente ligada à música, por ser esta uma arte completa que envolve o desenvolvimento físico e as aptidões artísticas de seus praticantes. A capoeira desenvolve-se ao som de uma "orquestra" muito particular e peculiar por natureza. Esta orquestra é composta de um atabaque, dois pandeiros e de um a três berimbaus e, são estes instrumentos que acompanham as "cantorias da roda".

Dentre os vários tipos de "cântigos" de uma roda de capoeira, destacamos:

- A Chula: É uma cantiga curta, normalmente feita de improviso que faz apresentação ou identificação. É entoada pelo cantador para fazer a abertura de sua composição. Normalmente faz uma louvação aos seus Mestres, as suas origens ou a cidade em que nasceu ou está no momento, pode ainda fazer culto a fatos históricos, lendas ou algum outro elemento cultural que diga respeito à roda de capoeira. É comum aos cantadores da roda usarem a chula como introdução para as corridos e ladainhas e, durante a mesma é sugerido um refrão para o coro cantar.

- O Corrido: Como o próprio nome já sugere, é uma cantiga que "acelera" o ritmo e que se caracteriza pela junção do verso do cantador com as frases do refrão repetido pelo coro total ou parcialmente, dependendo do tempo que o cantador dá entre os versos que canta. O cantador faz versos curtos e simples que são à toda hora repetidos e o conjunto deles é usado como refrão pelo côro. O texto cantado pode ser retirado de uma quadra, de uma ladainha ou de uma chula ou ainda de cenas da vida cotidiana, de um passado histórico ou simplesmente da imaginação do cantador. Geralmente, o o corrido é cantado nos toques de São Bento Grande, Cavalaria, Amazonas, São Bento Pequeno, sempre em toques mais acelerados.

- A Quadra: É o que o nome diz, uma quadra. A quadra é uma estrofe curta de apenas 4 versos simples, cujo conteúdo pode variar de acordo com a criatividade do compositor que pode fazer brincadeiras com sotaque ou comportamento de algum companheiro de jogo, pode fazer advertências, falar de lendas, fatos históricos ou figuras importantes da capoeira. Normalmente as quadras terminam com uma chamada ao côro que pode ser: camaradinha, camará, volta do mundo, aruandê, Iêê...Êêê...dentre muitas.

-A Ladainha: É um ritmo lento, sofrido, dolente, é como uma reza, uma oração muito parecida com as que são feitas na Igreja Católica em louvor ao terço. O conteúdo de uma ladainha corresponde a uma oração longa e desdobrada pelo cantador em versos entremeados pelo refrão repetido pelo côro. As ladainhas , exclusivas do jogo de Angola, são cantadas antes do início do jogo. Os participantes da roda devem ficar atentos ao cantador, pois na ladainha pode ser feito um desafio e, quando for dada a senha para o início do jogo qualquer um pode ser chamado neste desafio.

Exemplos:

CHULA
"Vida de solteiro é dura, de casado é muito mais, o marido vai na festa ai meu bem... a mulher quer ir atrás, se ele diz que não, ela vira onça e diz que vai, é por tudo isso que não caso, prá viver a vida em paz Camaradinha... Iê, Aquinderê!...
(Mestre Cícero)

CORRIDO
"Chora menino nhem, nhem, nhem...
o menino chorou nhem, nhem, nhem...
cala a boca menino nhem nhem nhem...
mas porquê não mamou?
nhem, nhem, nhem...
(Peça do Folclore)

LADAINHA
"Quando eu aqui cheguei
quando eu aqui cheguei
vim louvar a Deus primeiro
e os moradores deste lugar
agora eu tô cantando
agora eu tô cantando
cantando dando louvor
tô louvando a Jesus Cristo porque nos abençoou
Tô louvando e tô rogando tô louvando e tô rogando
ao pai que nos criou
abençoe esta cidade com todos os seus moradores
e na roda de capoeira abençoe os jogadores."
(Mestre João Pequeno)

QUADRA
"A canoa virou marinheiro, ô no fundo do mar tem dinheiro
A canoa virou marinheiro, ô no fundo do mar tem dinheiro"
Autor não conhecido

Normalmente, depois que a roda acaba, é feito um "samba de roda" para acalmar os ânimos mais exaltados durante o jogo. O samba de roda tem letra um pouco mais longa do que o corrido e a quadra, mas se compara bem de perto ao conteúdo de uma chula ou ladainha:

Exemplo: SAMBA DE RODA "Pisa na linha levanta o boi Levanta meu boi do chão Pisa na linha levanta o boi levanta, levanta Amanhã é dia santo dia do Corpo de Deus quem tem roupa vai na missa quem não tem faz como eu pisa na linha levanta o boi .... Peça do Folclore

Para cada situação um canto diferente: Nas rodas de capoeira, são cantadas as proezas dos jogadores e, também, as suas quedas e suas desavenças. É por aí que são estimulados os movimentos que o jogo exige; é também, uma maneira de passar adiante os ditos populares, dando asas à imaginação das pessoas; ainda, é uma forma de quem está tocando e cantando, fazer uma "brincadeira" com os jogadores.

- Quando o jogo está desanimado, canta-se: BIMBA MANDOU LUTAR... (côro) LUTAR - Quando o jogador leva "a pior" e sai reclamando, canta-se: O MENINO CHOROU, NHEM, NHEM, NHEM... - Quando o jogo virar para o lado da violência, canta-se: CAMARADA QUE É MEU CAMARADA, (côro) É MEU IRMÃO... - Quando o jogador cai e se machuca, canta-se: CAPOEIRA ESCORREGA E LOGO TÁ DE PÉ QUEM FICA NO CHÃO CAPOEIRA NÃO É NA VIDA SE CAI OU SE LEVA RASTEIRA QUEM NUNCA CAIU, NÃO É CAPOEIRA - Quando entra mulher na roda, canta-se: Ô MULHER, LEVANTA A SAIA E VEM JOGAR... SE ESSA MULHER FOSSE MINHA, EU ENSINAVA A VIVER EU LEVAVA PRÁ RODA, E ENSINAVA A ARMADA E MACULELÊ... - Prá terminar a roda em paz, canta-se: ADEUS, ADEUS, VAMOS SAIR EU JÁ VOU-ME EMBORA, BOA VIAGEM...

Fonte: Rabo de Arraia

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Festa, capoeira, Frevo e Samba


"Todos sabemos que a contribuição africana para a formação da cultura brasileira é imensa. Os africanos trazidos para cá como escravos, acabaram sendo os principais responsáveis por constituir algumas das características mais marcantes da nossa cultura: a musicalidade, a espontaneidade, a expressividade corporal e a criatividade presente nas mais variadas manifestações das culturas tradicionais de nosso povo."

Leia o restante da postagem no link abaixo...

Fonte: Portal Capoeira

quarta-feira, 13 de julho de 2011

CAPOEIRA vence no Prêmio da Música Brasileira

"CAPOEIRA DE BESOURO" de Paulo Cesar Pinheiro
no Prêmio da Música Brasileira


"A CAPOEIRA se fez presente e vencedora no tradicional e respeitado PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA que em sua 22a edição premiou o cd "CAPOEIRA DE BESOURO" de Paulo Cesar Pinheiro como vencedor das duas categorias a que concorreu: Melhor Álbum Regional e Melhor Projeto Visual.
 A cerimônia de premiação aconteceu no último dia 6 de julho no Teatro Municipal do Rio de Janeiro onde Paulo Cesar Pinheiro recebeu os troféus ao lado de Zeca Pagodinho, Monarco, Mauro Diniz, Emílio Santiago, Alcione, Elba Ramalho, Arnaldo Antunes, Lulu Santos, Vanessa da Mata, Roberta Sá, Zezé Di Camargo e Luciano entre outros vencedores das demais categorias."


Para ler a postagem completa e mais algumas fotos basta entrar no link abaixo... 

Fonte: Quintal do Lobisomem 

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Urucungo = Berimbau?


Muitas pessoas já me perguntaram o que é o Urucungo, mas nada como conversar com um bom Mestre para ter ricas informações históricas sobre este fantástico instrumento. Mas se você não tem um Mestre por perto, pode recorrer a internet, mas sempre confirme com o seu Mestre sobre estas informações, vá que a pessoa que o tenha escrito não tenha uma fonte de informação tão boa quanto um bom Mestre...

O berimbau, é um instrumento de corda, de origem angolana, também conhecido como berimbau de peito em Portugal ou como hungu em Angola e grande parte do continente africano.

Em Angola também é conhecido por m'bolumbumba e é utilizado entre os quimbundos, ovambos, nyanekas, humbis e khoisan.

Este instrumento foi levado pelos escravos angolanos para o Brasil, onde é utilizado para acompanhar uma dança acrobática chamada capoeira.

No sul de Moçambique, tem o nome de xitende.

No Brasil, também é conhecido por urucungo, urucurgo, orucungo, oricungo, uricungo, rucungo, ricungo, berimbau metalizado, gobo, marimbau, bucumbumba, bucumbunga, gunga, macungo, matungo, mutungo, aricongo, arco musical e rucumbo.

Está curioso? Quer mais informações? Basta consultar a fonte abaixo, cuja a qual está este assunto na "íntegra".

Fonte: Wikipédia

sexta-feira, 8 de julho de 2011

A Evolução da capoeira no Mundo

Mais uma interessante máteria do site Portal Capoeira que deixo aqui para o pessoal refletir... 

A Evolução da capoeira no Mundo: Caminhos de "esterilização" da arte para "fertilização" do negócio

"O reconhecimento da capoeira na atualidade se depara com seu mais difícil paradigma, pois a mesma precisa conviver com um processo de transformação que, na maioria das vezes, só justifica-se por parâmetros que negligenciam princípios de ancestralidade, oralidade, aprender fazendo, dentre outros, que são encarados por seus praticantes como ultrapassados e/ou utilizados unicamente nos discursos eloqüentes dos ``tiranos comandantes`` disfarçados de mestres. Neste sentido, nos propomos a refletir sobre algumas questões que tentarão nos aproximar de alternativas para dialogarmos com a tão famigerada ``evolução`` da capoeira, apelidada em nosso tempo equivocadamente de capoeira Contemporânea."

Basta acessar o link abaixo para ler a postagem na íntegra.


Fonte: Portal Capoeira

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Capoeira Angola e Regional: Fugindo da aparência e ressaltando a essência

Deem uma lida nessa interessasnte matéria que eu vi no site Portal Capoeira. 

"O dialogo que propomos aqui faz referencia ao universo das aparências no mundo da capoeira, ou seja, queremos tratar sobre os equívocos em relação à tradição herdada da obra de Bimba e Pastinha, que vez ou outra, são citados como forma de justificarem ou validarem praticas que em muito se distanciam da realidade dos estilos desenvolvidos no processo histórico da capoeiragem..."

Para ler o conteúdo na íntegra, basta acessar o link abaixo. 

segunda-feira, 4 de julho de 2011

A Revista Capoeira está de volta!!!


Depois de ter lido está excelente notícia no blog Psico Capoeira, fui atrás de mais informação para complementar esta postagem. 

Revista Capoeira inova e vira revista bilíngue
A Revista Capoeira volta às rodas de capoeira com um novo conceito e uma revista bilíngue, ganhando um projeto gráfico e linha editorial moderna. A partir do mês de maio em todas as bancas do Brasil.

A Revista Capoeira irá retratar a Capoeira de uma maneira diferente. As reportagens vão mostrar uma Capoeira que os brasileiros terão prazer em apresentar aos estrangeiros. E detalhe importante: com a certeza de que eles vão entender, já que a revista será bilíngue, em português e inglês.
A mudança faz parte da filosofia da Revista Capoeira, que está no mercado há 15 anos, de estar sempre em sintonia com as mudanças e necessidades da comunidade Capoeiristica espalhada pelo mundo.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Informativo: Como usar o conteúdo do Blog Psico-Capoeira? - Parte 2


O Blog Psico Capoeira está fazendo um chamado para vários profissionais de áreas específicas. Passe lá e de uma olhada, se você se enquadra no tipo de profissional que eles precisam não deixe de colaborar para a melhor dissiminação do conhecimento!!!

Passa lá!!! 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...